1 de nov de 2010

Problemas com os serviços prestados - Parte 8

Juliana:
O salão estava muito quente durante a recepção.
Fomos alertados cerca de dois meses antes do casamento que no salão alternavam os aparelhos, conversamos com a pessoa responsável pelos contratos e ela nos garantiu que isso não acontecia e que todos os aparelhos teriam sido revisados recentemente.
Infelizmente os aparelhos não funcionaram em sua potencialidade, o salão ficou extremamente quente e muito convidados começaram a sair mais cedo por causa do calor.
Solicitamos providências, mas nos informaram que o disjuntor estava desarmando.
Depois nos disseram que o compressor estava com defeito e não poderiam ligar os aparelhos. Ficou um calor horrível, os convidados abriram todas as janelas e a faculdade providenciou ventiladores.
Isso não tirou a animação da festa.
Mas não foi assim que contratamos o salão.
Até hoje não sabemos o que aconteceu.
Queríamos dar conforto aos convidados.
Vamos ajuizar a questão e pedir na justiça o ressarcimento do valor investido.

Recebemos as sandálias com bastante antecedência do casamento, mas mesmo assim com bastante atraso em relação à data combinada em contrato para a entrega da mercadoria e depois de muito estresse e ameaças de rescisão contratual pela minha parte.
Se isso não fosse o bastante, a arte das sandálias saiu ainda durante a festa.
Patético.
Como eles dão garantia da arte das sandálias?
Devo pedir de volta as lembranças dos meus convidados para ela fazer outra arte?

***************************************************************************************
Ana
Balanço : meu casório
Bom, refleti e decidi não apenas expor aqui

Antes de casar, li muito, na esperança de não me decepcionar, mas infelizmente, houveram muitas falhas no meu casório.
Paguei cinco mil reais à vista - à vista- para coquetel, bebida não alcoolica, estação de crepes, material e serviço para 150 pessoas.
Adiantado.
Pontos fortes: a flexibilidade.
A oferta de algumas cortesias, como 50 xícaras para servir café que seria feito por meu padrasto e acompanhado por doces e chocolates numa mesa de chá de minha mãe.
As cadeiras da cerimônia serem as mesmas do buffet ( não era distante e haviam também dois rapazes contratados por mim para serviços gerais, por fora, ).
Pontos fracos: Apesar de concordar com o transporte de cadeiras para o local ( entre as árvores), fiquei do carro vendo a cerimônia começar e os dois rapazes que contratei se matando pra levar até 4 cadeiras de última hora, enquanto os garçons do buffet, apesar de ter sido concordado com a dona, arrastando de má vontade uma cadeira.
A cerimônia rolando e três madrinhas em pé, constrangidas.
Chegou um momento que só os dois rapazes traziam e muita gente assisitiu tudo de pé.
Não fazia sentido uma vez que isso havia sido avisado duas horas antes da cerimônia.
Vieram 100 das 150 pessoas.
E mesmo assim, não houveram todos os salgadinhos listados no contrato.
Já vi que isso é comum em alguns buffets.
Listam muitas coisas, mas colocam outras.
A quantidade deu, mas não muito. Imagina se todas as 150 viessem?
No contrato dizia : salgados quentes sem limite.
Os crepes não estavam bons.
Sentei em várias mesas e via as pessoas deixando nos pratos.
Queria sentar na mesa de meus amigos e um rapaz do buffet insistiu para que eu sentasse numa mesa com meus pais e sogros.
Nada contra, mas sabia que ali, o serviço seria diverso.
Aceitei e pedi crepe. Os que pedi não tinham "tinham acabado".
Não achei uma única pessoa no meu casamento que comeu crepe de maçã, o que pedi.
Serviram um que não estava contratado,de doce de leite e ameixa ( detesto).
Meu sogro não comeu o dele de algo que não entendemos o que era.
O casamento tinha panfletos do buffet por toda parte.
Isso ocorreu porque minha tia comentou : os salgados tem mais massa que recheio, o crepe não tá legal, mas os chocolates são divinos!
Os chocolates foram da de outra empresa, um dos melhores contratos que fiz nesse casório, perfeito do começo ao fim, do atendimento à entrega impecável.
Dei uma circulada e vi a mesa de café com as cocadinhas perfeitas da empregada do meu marido repletas de panfletos, a mesa de jantar com o filet dela, o arroz e a salada da minha tia, panfletados. (contratei o buffet só para servir o jantar feito por minha família, ou seja, paguei 28 reais por pessoa apenas para coquetel, crepe, material e serviço).
Tooodas as mesas tinham o pequeno panfleto.
Nunca vi isso antes em nenhum dos inúmeros casamentos que fui.
Na hora do café, disseram que me padrasto não fosse, fariam por cortesia.
Nunca foi feito.
Minha mãe decorou o casamento.
Comprei com sacrifício, além das flores, vinte vasos lindos para 15 mesas.
Minha intenção era presentear os convidados com os vasos e os arranjos, além de umas bandejas de madeiras lindas de rosas que minha mae fez.
Dado momento, um casal amigo vai embora e eu perguntei se queriam levar o vaso da mesa deles.
Eles disseram : que vaso?
Olhei e nada.
Disseram, sem graça: levantamos um pouco e quando voltamos, o garçon estava levando o arranjo e desfazendo a mesa.
Olhei em volta e vi um garçon levando o arranjo para a cozinha.
Segui atrás e a dona do buffet ficou na porta, perguntando o que eu queria.
Expliquei o que ocorreu com o casal e ela afirmou "sua mãe mandou isso".
Conheço minha mãe e ela sabia do intento dos vasos.
Expliquei que fosse como fosse, queria AQUELE vaso que acabara de entrar na cozinha para presentear meus amigos antes de irem.
Esperei vários minutos até que ele voltou.
Pensem no constrangimento.
Fiquei sem um único vaso para mim. Algumas ganharam, outras não.
No final, todos começaram a ir embora mais cedo ( as mesas foram posicionadas longe da música, mas isso é o de menos)
O bolo foi servido sem que eu abrisse.
O que salvou foi a moça do telão já ter batido uma foto encenando que cortávamos.
De repente, ainda haviam três mesas com nossos amigos, estávamos conversando, e o Sr. do buffet, começou junto com os garços a desmontar todas as mesas, virando os tampos de compensado, etc, bem em cima dos convidados.
Fiquei surpresa e corri para um dos convidados com relógio de pulso: eram 20:35.
O contrato era até as 21h.
Morri de vergonha pois muitos, ao ver a cena, igual a barzinho que quer fechar, resolveram se levantar e continuar conversando conosco em pé.
Por fim, ainda vi os realizadores do buffet fazendo propagando de seus serviços aos meus amigos, e piadas como "agora nos contrate para as bodas de ouro, né".
Não contrataria.
Esperei um serviço à altura do prometido, e não vivenciei isto.
Sou uma pessoa, ao contrário do tom deste post (assim feito porque sei o que vem depois), sou informal e desligada.
Na festa, brinquei com as crianças, cumprimentei sem fila e conversei com todo mundo.
Não ligo para pequenos problemas.
Mas não foram pequenos.
Não quero nenhuma noiva passando pelo constrangimento de ver mesas sendo desmontadas meia hora antes, na frente de convidados, para a comodidade do buffet.
Serviço até 21 h é SERVIÇO até 21h.
Não é 21h no furgão indo embora.
Contratei o buffet porque senti confiança na Sr.a Ivone, mas esta se desfez no momento de apresentar o combinado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails